terça-feira, 26 de agosto de 2008

Robalos, roubados e o pré-sal nacional


Campos tupiniquins, dança da chuva e o faz-de-conta que o petróleo será nosso

Generosa e imprevisível. Fora assim a “Dança da chuva” na Petrobrás, empresa brasileira criada na Era Vargas e que hoje é a quinta maior do mundo em capital. Ao som de tambores, evocações governistas e aos olhares atentos de especialistas, crentes no milagre petrolífero nacional, desenvolveu-se a técnica de exploração em águas profundas. Resultado de inúmeras pesquisas, o novo método de exploração permitiria que o petróleo fosse retirado a mais de 6000 metros de profundidade, em um território denominado pelos geólogos como pré-sal, a menina dos olhos de ouro de investidores nacionais e internacionais.

Se o amigo internauta se espantou com o nível tecnológico criado por especialistas brasileiros, saiba que nesse país, além de corruptos, “políticos que não sabem de nada e se quer vêem alguma coisa” e candidatos excêntricos, há também pessoas sérias, que porventura, não deixaram o país em busca do paraíso dos dólares, euros e do reconhecimento. Ainda! Vale ressaltar. Bem, entre campos e suas variáveis indígenas e interplanetárias, como é o caso de Tupi e Júpiter, prefiro as denominações aquáticas, tais como Roncador e Namorado, que poderiam dar vez aos Roubados. Perdão! Robalos da vida.

Peixes à parte, foram inúmeras reservas de pré-sal descobertas pela Petrobrás, somente esse ano, o que gerou cobiça e polêmica. Por isso, preste atenção daqui em diante (se é que já não estava), afinal o tema é de interesse nacional. Em uma atitude típica dos tempos de líder sindical e esquerdista convicto, Lula revelou o desejo de criar uma estatal para gerenciar o óleo e o gás advindos do pré-sal. E segundo conversa do presidente com o jornalista Kennedy Alencar, os recursos seriam destinados ao combate da miséria, aplicados na educação e em benefício da população. Lembraram do povo? Muita calma nessa hora!

Essa é a vontade do presidente e dos legisladores. Ao que tudo indica, estes não criarão impasse algum para que a nova companhia petrolífera, voltada ao pré-sal, seja aprovada. Estima que somente o Campo de Tupi tenha a capacidade de produzir mais de 8 bilhões de barris, mais de 50% da produção atual da Petrobrás. O faturamento gerado com a exploração do pré-sal é ainda mais espantoso: R$ 4 trilhões, uma quantia inimaginável pelo amigo leitor, não?

Anos atrás, lotes de ações da Petrobrás foram colocados à venda na Ibovespa por valores abaixo dos atuais. Esses investidores ajudam a empresa a ser tornar a principal instituição nacional, com 17% do montante de ações que circulam pela Bolsa de Valores de São Paulo. A empresa que eles são acionistas investiu e descobriu campos e a técnica necessária ao pré-sal. E agora os lucros vindos desse petróleo não serão deles? Fica a dúvida.

Quanto à população, uma pergunta ficará no ar. Se a Petrobrás é nacional, não seria justo e correto que todos fossem beneficiados com os recursos da menina dos olhos de ouro, melhor dos “óleos” de ouro? Parece que as ambições de Lula e do povo brasileiro podem terminar em pizza! Mais uma dúvida paira no ar e na cabeça do trabalhador, que reza, mas não se livra da urucubaca e das assombrações que aparecem, seja em Júpiter ou Brasil. Agora me diga: quem será roubado nessa história?


- Este artigo foi útil, tem qualidade ou merece algum acréscimo. Deixe seu comentário abaixo ou assine nosso feed.

4 comentários:

Guilherme disse...

Lucas,

Espero que o sr. Lula cumpra com suas promessas e prossiga com a idéia de criar a Petrosal, mesmo ao estilo norueguês.

O sarcasmo desse texto deu outro gás a discussão. E esse tema não é muito fácil de tratar, afinal até jornalistas formados desconhecem o pré-sal.

Boa amigo!

Até e abraços.

Luly disse...

Cara... vc matou a pau!

Excelente texto!

Tudo a ver com o que eu escrevi hoje... se quiser conferir!

http://rosas-inglesas.blogspot.com/

sucesso

All3X disse...

A questão que você bem diz é verdade, dominada por interesses de grandes investidores, será mesmo que a estatal irá se voltar para os interesses da população?
Fica a dúvida, mas temos que ficar de olho no que irão fazer...
All3X

LETÍCIA CASTRO disse...

Lu, excelente o texto, isso já é redundância. Vi as manchetes sobre o pré-sal na Folha e não deu tempo de ler. Vim aqui e agora estou informadíssima e sabendo tudo na ponta da língua.
Eu só tô esperando a minha parte, vc não tá não? Imagina, vamos nadar de braçada, vc vai ver! hehehe
Amei os trocadilhos! Geralmente, eu adoro trocadilhos e é tão difícil encontrar quem os faça bem, vc deu show, amigão. Vamos continuar de olho para não entra numa roubada, né? huahuahuá (tá vendo como é difícil um bom trocadilho? hehehe)
Beijocas e obrigada pelo comment no Babel, viu?

Melhor visualização com o navegador Mozilla Firefox