domingo, 3 de agosto de 2008

Chuchu? Com um pouco de sal, por favor

Alguém aí já ficou sem internet nem que fossem dois dias? Passei por isso nesta sexta e sábado. Cruzes! "Reparo na rede". Sei. Desta forma, peço desculpas por não termos tido a postagem de internacional e de política, respectivamente nos dias citados. Mais do que excepcionalmente, uma postagem de política hoje e na quarta, voltamos ao normal.

Nesta última quinta-feira, a rede Bandeirantes e a Band News FM realizaram debates nas principais prefeituras do país e se pudesse escolher uma palavra para definir o debate em Belo Horizonte, onde fica o headquarters do Sem Fronteiras, escolheria: chato. Tudo, de cabo a rabo foi puro tédio. O mediador Ricardo Sapia não ajudou também.

Aqueles que esperavam que a candidata do PC do B Jô Moraes, que lidera as intenções de voto na capital partisse para o ataque contra Márcio Lacerda, do PSB, enganou-se. E me incluo nessa. O que pude ver de Jô Moraes, foi uma mulher tentando reafirmar a todo o momento que seu partido é da base aliada do governo Lula e que há anos faz parte da gestão da prefeitura belorizontina. Vendeu a idéia de continuidade. Definitivamente não merece estar liderando as pesquisas. O "trunfo" de Jô é o apoio que ela recebe do vice-presidente José Alencar, do PRB, dos dissidentes petistas, como o ministro Patrus Ananias e o ex-deputado Rogério Correa, nome forte do partido em Minas. Esses dissidentes, decidiram apoiar a comunista depois que o prefeito Fernando Pimentel, do PT, alinhou-se ao governador tucano Aécio Neves para apoiar Márcio Lacerda.

Falando de Márcio Lacerda, o candidato saiu-se bem por ser seu primeiro debate. Saiu-se bem, mas não foi bem. O candidato reafirmou que vai continuar "no mesmo trilho" do prefeito Pimentel e buscar parcerias com o governo estadual (sic) e federal. Lacerda tem como cabos-eleitorais o prefeito Pimentel e o governador Aécio Neves. Uma chapa polêmica e no mínimo patética. Desde quando PT e PSDB, que se engalfinham no plano nacional, decidem se juntar em Minas? Onde fica o debate e a nobre arte da prática da política? Isso aos poucos está acabando no estado, que a cada dia mais sinto que estarmos numa grande bolha, tendo toda a política controlada por um indivíduo. Ganha um doce quem acertar o nome do "indivíduo".

Ah, se você for de Belo Horizonte, vale o aviso: Lacerda participou do esquema do mensalão, a maior crise política sofrida pelo governo Lula em 2005/2006. O nome de Márcio Lacerda aparece na lista das pessoas beneficiadas no esquema de corrupção do empresário Marcos Valério. No mesmo dia em que o relatório foi divulgado, Márcio Lacerda pediu demissão, negando ter recebido qualquer tipo de soma em dinheiro. Dureza, hein conterrâneos?

Resumindo o debate: blábláblá, pura retórica e poucas propostas concretas. O ponto de consenso foi o tal metrô de Belo Horizonte, que todos os candidatos disseram ser a solução para o infernal trânsito da cidade. Mas claro, sabemos que o dito cujo só será construído quando o clã Sarney deixar o Maranhão.

Questões críticas na cidade como saúde, passe-livre para estudantes (mencionado apenas por Jorge Periquito do PRTB), educação e emprego foram tocadas superficialmente. Talvez por ser o primeiro debate, os candidatos adotaram certa cautela, mas o eleitor não quer nada disso: queria propostas sólidas e um debate inteligente de idéias. Quem sabe numa próxima, né?

Ahá, mas se você achou que o debate deu com os burros n’água, se engana! O melhor momento estava reservado para os minutos finais, quando nas considerações, Jorge Periquito se dirigiu ao candidato Gustavo Valadares, dos DEMos, pedindo que o pai do candidato, Ziza Valadares, presidente do Galo “repense a permanência à frente do clube. 6 a 1 foi demais," disse, se referindo à goleada sofrida pelo Galo para o Vasco. Gustavo, não deixou barato e disse "aqui estamos num debate sério e quem está aqui é o candidato Gustavo Valadares".

Fala sério, é muita emoção concentrada em um finalzinho de debate (quase) sem sal!

5 comentários:

Tânia disse...

Adorei a ironia, hehehehe!

O debate aqui em SP foi morno também. Uns cutucões ou outros. O final que pegou um pouquinho de fogo entre a Marta e o Geraldo, mas tirando isso...

Márcia disse...

Querido! Sumidissímo, hein guri?


O debate aqui em PoA foi ótimo! O atual prefeito, o Fogaça, alvo de tiro dos outros candidatos.

Gostei bastante!

Beijocas!

Letícia Castro disse...

Lucas,aqui em SP a coisa não está menos decepcionante. O primeiro debate tem foi confuso, incompleto e do que se queria não se falou. No interior do estado, a coisa está pior. Muitas cidades tem um número elevado de candidatos que não se justifica e vários com processos administrativos esperando para se resolver. Essas eleições para mim estão cheirando a uma lambança generalizada.
Esperemos que não aconteça!

Beijão pra vc! Vou para o post de baixo agora. : )

Letícia.

http://babelpontocom.blogspot.com

Guilherme disse...

Catta Prêta, o Fernandes comentou comigo por e-mail desse debate. Disse que foi insosso e que as expectativas não se confirmaram: o foco do debate não foi Jô x Marcus.

Lucas, foi bom você lembrar aos eleitores mineiros o que esse cretino fez. Estou estudando em São Paulo, mas nasci e morei durante anos em BH e não quero ver minha cidade nas mãos do Lacerda.

Aqui em Sampa, o debate foi monótono. Alckmin e Marta não expuseram seus planos e trocaram farpas no fim do debate.

Abraço rapaz e bom retorno.

Wander Veroni disse...

Oi, Catta Prêta!

Vc falou tudo sobre a questão política de BH. Estive no debate da band e, sinceramente, esperava uma postura mais incisiva da Jô Moraes.

Já o outro, nosso candidato laranja, fala em continuidade. Continuar em quê? Se essa aliança entre petista e tucanos está uma pouca vergonha.

Mas vamos contribuir para o debate. Os nossos candidatos ao legislativo mineiro é o que mais me preocupa...não quero nem ver qdo começar a campanha na TV...rs.

Jesus acende a Luz!!!

Heheheh...rs.

Abração,

=]
____________________
http://cafecomnoticias.blogspot.com

Melhor visualização com o navegador Mozilla Firefox