terça-feira, 12 de agosto de 2008

As esperanças se renovam

Confira um panorama da natação e do vôlei masculino nessa madrugada, dia 12, horário de Brasília:

Natação

A madrugada de hoje (12) mal havia começado no Brasil e os nossos nadadores já haviam conquistado bons resultados nas piscinas do Cubo D’água, em Pequim. Kaio Márcio foi o primeiro a cair na água. Nadou as semi-finais e se garantiu na final do 200m borboleta com o 6º melhor tempo, 1m55s21. Como era de se esperar, o estadunidense Michael Phelps foi o mais veloz, 1m53s70, por isso nada na raia central e mantém viva a esperança - real - de conquistar suas oito medalhas de ouro. Fique de olho! A partir das 23h20 de hoje (12) acontece a final dos 200m borboleta.

César Cielo nadou as eliminatórias dos 100m livre e conseguiu a 7ª colocação entre os 16 nadadores classificados para as duas semi-finais que acontecerão na noite de hoje (12) a partir das 23h. Cielo fez o tempo de 48s16, frações de segundo acima do australiano Eamon Sullivan que encabeçou a lista dos classificados para as semi-finais da prova.

Tanto ao Kaio Márcio quanto ao Cielo, vale a torcida brasileira. Não seria exagero dizer que ambos possuem reais chances de surpreender e, quem sabe, nos fazer subir no quadro de medalhas e abandonar a incômoda 31ª colocação (vale lembrar que o judoca Tiago Camilo conquistou a medalha de bronze, nessa madrugada, na categoria meio-médio, algo insuficiente para alterar a posição brasileira no quadro geral).

Vôlei Masculino

Quem viu a Sérvia fechar o primeiro set do jogo contra os brasileiros na madrugada de hoje (12), provavelmente teria colocado “em xeque” a capacidade dos nossos jogadores. “Chegara ao fim a bem sucedida era Bernardinho, da seleção impecável de apresentações irretocáveis?”.

Poderia parecer precipitado demais em minhas conclusões, afinal era o fim do 1º set dos cinco possíveis. Porém, assim como todos os brasileiros, havia me acostumado a ver a seleção vencer a todos os contra-tempos e adversários possíveis de maneira arrasadoramente incontestável. A perda de um set sequer, me deixava ligeiramente apreensivo, principalmente quando lembrava das derrotas seguidas na Liga Mundial.

Ao longo do 2º set, a pergunta acima foi se desvanecendo de minha mente. O Brasil virou o jogo com uma belíssima apresentação diante da equipe sérvia: 3 sets a 1 (25/27, 25/20, 25/17 e 25/21). O placar implantou em mim outra dúvida: “Talvez o gigante teria apenas adormecido durante a fase final da Liga Mundial”. Por via das dúvidas, é melhor nos apegarmos a isso, pois é isso que nos conforta (Rs).

1 comentários:

Wander Veroni disse...

Ah esse Phelps...o cara manda bem, mas ganha tudo, uai...deixa uma medalha pra gente tb...heheheh

Abcs,

=]
__________________________
http://cafecomnoticias.blogspot.com

Melhor visualização com o navegador Mozilla Firefox