segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Um novo campeonato começa

Apesar do tropeço na Sul-Americana, o Grêmio segue firme na ponta da tabela. O arranca-rabo fica por conta de Palmeiras e Cruzeiro, que lutam com todas as suas armas para não se distanciarem do tricolor gaúcho, que mantém seus cinco pontinhos de vantagem para o segundo colocado, nesse momento, o Palmeiras.

Jogando contra o Vasco, no Olímpico, o Grêmio só chegou ao gol na segunda etapa, com o cabeceio de Soares, depois do cruzamento preciso de Marcel. O rubro-negro carioca chegou a empatar com Alan Kardec, e sonhar com o vira-vira. Mas o sonho virou brisa quando Marcel penetrou na área e cabeceou forte para o fundo das redes. A partir daí, o Grêmio usou a inteligência, cadenciando o jogo até o fim da partida. Com o resultado, o time de São Januário permanece na 14ª colocação, pertinho da forca.

O Bota(fogo) que, perdoem a redundância, vem ateando fogo na disputa pela última vaga dentre os quatro habilitados a disputar a Libertadores 2009, teve a grande oportunidade de roubar do Cruzeiro - que tropeçou em pleno Mineirão diante do Coritiba (1 a 1) - a terceira colocação da tabela. Contudo, não conseguiu mais que um empate com o Náutico (1 a 1), mesmo jogando no Engenhão.

Ao abrir cinco pontos de diferença para o Sport, 9º, o Coritiba surge como divisor de águas, determinando quais times lutarão pelo quê. Se por uma vaga na mais importante competição de futebol da América (ele próprio, o Coritiba, Flamengo, Vitória e São Paulo), se por uma modesta Sul-Americana (Sport, Goiás, Internacional, Atlético Mineiro, Figueirense e Vasco) ou pela fuga desenfreada da zona de rebaixamento ou aproximação dela (Fluminense, Atlético Paranaense, Náutico, Portuguesa, Santos e Ipatinga).

Mas se engana quem pensa que o representante do Vale do Aço já tenha se consolidado na 20ª colocação da tabela. O empate em 1 a 1 com o Vitória, que vem despencando a olhos vistos, foi importante para que o time mineiro não se abata ainda mais. O tigre ainda tem reais chances de abandonar a zona de rebaixamento, já que apenas dois pontos o separam do Atlético Paranaense, 16º.

Mais uma janela se fechou

A noite de hoje (dia 1) marcou o encerramento da sempre impactante janela transferências européia. E por ironia do destino, os grandes clubes, que há meses vinham estudando a saída dos seus principais jogadores, sofreram menos do que se esperava.

Na capital paulista, o São Paulo perdeu o selecionável zagueiro Alex Silva para o Hamburgo - ALE, por 15 milhões de euros. Já o Palmeiras sofreu com a saída de Valdívia para o Al-Ain, dos Emirados Árabes, por 22 milhões de reais. Em terras cariocas, o Flamengo foi o mais prejudicado. Perdeu Marcinho para o Al-Jazira, dos Emirados (mesmo clube de Rafael Sóbis e Abel Braga), Souza para o Panathinaikos - GRE e Renato Augusto para o Bayer Leverkusen – ALE, arrecadando 30 milhões de reais ao todo. O Fluminense também foi vítima da janela, perdendo Gabriel, Cícero e Thiago Neves, sendo o último por oito milhões de euros ao Hamburgo - ALE.

Outros jovens promissores deixaram o país, como Charles e Kerlon pelo Cruzeiro, Diogo pela Portuguesa e Danilinho pelo Atlético. Agora fica a pergunta. Até quando os clubes brasileiros continuarão reféns da janela de julho/ agosto?

2 comentários:

Wander Veroni disse...

É o nosso futebol-negócio-financeiro, meus amigos...os atletas que melhor desempenho mostrarem são vendidos a preço de ouro. Ganhar campeonato? Puts? Para quê? O que os grandes clubes realmente querem é revelar e/ou exibir os seus melhores atletas e vendê-los para clubes estrangeiros. Virou uma espécie de máquina caça-níquel do futebol...hehehehe.

Abraço,

=]
_____________________________
http://cafecomnoticias.blogspot.com

Diego Moura disse...

O futebol brasileiro tá perdido...hauhauhau... xD

Melhor visualização com o navegador Mozilla Firefox