quarta-feira, 11 de junho de 2008

Um duplo parabéns!

Bom, aqui estamos caro leitor do Sem Fronteiras. Hoje é a minha estréia aqui no blog, se assim podemos dizer. Claro que no dia 7, data que estreamos esse espaço, tiveram alguns parágrafos meus nas duas postagens daquela noite, mas hoje é a estréia solo. Antes de falarmos do que realmente importa, gostaria de agradecer profundamente aos mais de 300 cliques que esse blog já recebeu em menos de uma semana de vida. Bom presságio! Sendo assim, parabéns aos outros dois blogmasters pela qualidade dos textos e que você, leitor, continue sempre nos prestigiando.

O outro parabéns da noite, é direcionado à você meu caro amigo. O motivo? Simples - há a grande possibilidade de que à partir de 1º de janeiro de 2009, você e sua família paguem um novo imposto! Não é uma beleza?

Foi aprovada hoje, na Casa da Mãe Joana, conhecida também como Câmara dos Deputados, a nova CPMF, carinhosamente rebatizada de CSS - Contribuição Social para a Saúde. Esse nome já gerou alguns interessantes trocadilhos: o presidente da Fiesp, Paulo Skaf entende CSS por "Contra seu sálario" e há ainda aqueles que a chamem de "Contribuição sem sentido". Os deputados já haviam votado a emenda 29 (que destina mais recursos para a saúde), mas a votação para a recriação do tributo foi feita separadamente. O placar da votação foi apertado - 259 deputados foram a favor da recriação do imposto, 159 contrários e duas abstenções. Para que o pseudo-neo-tributo fosse aprovado, eram necessárias 257 votos. O governo conseguiu apenas dois a mais de um universo de 383 que integram a base governista, mostrando claramente como o assunto era controverso até mesmo para os governistas. Para uma relação com os deputados que votaram contra você, clique aqui e procure pelos deputados mineiros.

O texto agora segue para o Senado Federal, onde se espera que a votação seja mais apertada: o governo possui uma ferrenha oposição e a aprovação da CSS pode ser mais complicada. O último exemplo claro dessa oposição foi no ano passado, quando o governo não conseguiu renovar a reencarnada CPMF, numa manobra dos senadores principalmente do DEM e PSDB.

A CSS meu caro leitor, é mais um conto da carochinha que tentam nos enfiar guela a baixo - a proposta é de uma alíquota 0,1% para todas as movimentações financeiras daqueles com ganhos acima de R$ 3.038, ou seja, a classe média. Mais uma vez, é ela quem irá sofrer com os desatinos do governo, que claramente não havia digerido a derrota sofrida no final de 2007. Uma análise rápida nos permite dizer: as classes mais pobres, que dão a ampla margem de popularidade do presidente Lula, não se importarão com mais esse tributo e continuarão alegremente apoiando nosso presidente. Tudo que o governo sempre quis - manter sua fiel base de apoio aliando à cobrança vergonhosa de impostos nas classes A, B e C. Segundo a proposta original, o dinheiro arrecadado, cerca de R$ 10 bi no primeiro ano da cobrança, seria dedicado integralmente à saúde. Nós, como brasileiros que conhecemos a política no nosso país sabemos que isso não acontecerá. Quando da criação da CPMF, a história era a mesma: dinheiro integral a saúde. Quem já foi à um posto de saúde sabe responder se isso aconteceu ou não.

E sinceramente, mesmo que isso acontecesse de fato, não seria necessário: o governo está batendo a cada ano recordes de arrecadação de impostos, está renegociando a dívida de produtores rurais, ou seja, dinheiro não é o problema. Mas isso, é típico de Brasil: quando é para falar de "liderança na América", "novos campos de petróleo", "maior papel no cenário internacional", somos um país rico, próspero, onde nas palavras de Lula "Deus chegou aqui e não quer mais sair". Por outro lado, na hora de criar impostos, somos o mesmo Brasil pobre, sem recursos e que precisa desesperadamente sugar o máximo possível de sua população. Coisas de Brasil.

5 comentários:

Cláudia Macieira disse...

Falou quase tudo já. Faltou apenas falar o quão safado e descarado é esse governo que faz chacota de nós o tempo inteiro.
Ótima postagem e excelente blog. Vocês têm futuro rapazes!
Salvei nos meus favoritos.

Kátia disse...

Esta nova sigla CSS é aquela famosa história.... criamos para você querido eleitor, mas o dinheiro vai é para nós!!!
Lucas, texto incrível!

Rafael Sandim disse...

Texto excelente, esses meninos são fera!

Letícia Castro disse...

Calma, Lucas, se Deus quiser, o Senado barra!
Parabéns pela sua estréia e o blog continua show, o Babel.com é fã!
Beijo!
Letícia.
http://babelpontocom.blogspot.com

Carlos Berna disse...

Concordo com você Letícia. O Senado, baluarte da ética nesse país ainda barrará a descbida CSS.

Brilhante texto.

Melhor visualização com o navegador Mozilla Firefox