segunda-feira, 23 de junho de 2008

A hora da verdade


Há 18 dias começava a saga de 16 seleções européias à conquista da Eurocopa - a Copa do Velho Mundo. A edição desse ano tem surpreendido a muitos. A começar pelas anfitriãs Áustria e Suíça, que sequer passaram da fase de classificação, adentrando a 3ª rodada da fase de grupos com chances extremamente remotas de classificação. A Grécia - vencedora da última edição da Eurocopa, em 2004 - fez pior. Os gregos tiveram o desprazer que ver a equipe mediterrânea amargar a última colocação do grupo D - com 0 ponto - e a conseqüente eliminação do sonho de sagrar-se bicampeã da competição.

A Itália - atual campeã mundial - decepcionou mais uma vez. Em jogo pelas quartas de final, ontem (22), contra a seleção espanhola, a Azurra não conseguiu se impor diante da Fúria (de David Silva, El Nino Fernando Torres e David Villa), que se demonstrou bem mais ofensiva durante todo o jogo: a eliminação veio nos pênaltis, 4 a 2.

Portugal, que enfrentara a Grécia no confronto final da Euro 2004, parou diante da seleção alemã. Após sua sofrer o terceiro gol, o semblante de Felipão era desolador. A seleção portuguesa era, até então, ovacionada e tida como favorita ao título. Com, ou sem o técnico brazuca no comando da seleção lusa, o certo é que Portugal terá de esperar mais um pouco para soltar o grito de “É campeão” há muito, entalado na garganta. Nem mesmo o futebol objetivo e mágico de Cristiano Ronaldo inibiu o carrasco português – o meia Bastian Schweinsteiger – o mesmo que tirou o terceiro lugar da seleção na Copa do Mundo de 2006.

A Holanda - que fazia parte do grupo C, ou grupo da morte como era designado por grande parte da imprensa - atropelou Itália, Romênia e a - infortunada - França na fase de grupos, porém não resistiu ao fôlego do jovem time russo. A equipe de Van Basten não suportou a vitalidade do time de Guss Hiddink (seu compatriota) que não esboçava cansaço aparente na batalha de 2 horas que definiu o 3º semifinalista da Eurocopa. O futebol vertical e tático russo deve ao técnico holandês e principalmente ao cérebro do selecionado – Andrey Arshavin – meia-atacante de rara visão, jogador do Zenit de São Petersburgo.

Aos trancos e barrancos, a Turquia chegou longe. Com três surpreendentes viradas e com o coração na ponta da chuteira, os turcos superaram a força física tcheca, o ferrolho suíço e a técnica croata, chegando a semi-final com inúmeros desfalques por lesão e cartões. Na próxima quarta (25) ela enfrenta a Alemanha. A Rússia joga na quinta (26) com a Espanha. Desses confrontos sairão os finalistas da competição.

4 comentários:

ericrifferama disse...

Belo blog , boas informaçoes e bom formato ! parabens !!

José Roberto disse...

Antes de expor minha opinião sobre o texto, gostaria de enaltecer as mudanças no SFW. A cotação do dólar e a previsão do tempo, todos atualizados, trarão à nos, leitores, mais informação. Por isso, parábens pela iniciativa.

Quanto à postagem, gostaria de deixar meu palpite. Nesta "hora da verdade", penso que a Alemanha se sagrará campeã. Tem um ataque objetivo e um meio-de-campo técnico. Me chamam atenção também, os espanhóis, o mais belo futebol desta Euro.

Este blog terá um futuro brilhante! Estejam certos disso. Parabéns a toda equipe.

Letícia Castro disse...

Alô, meninos!
Pois é, meu marido tava assistindo o jogo e eu pedi pra ele desligar, pois estava postando e até agora a gente não sabe quem ganhou! rs Ele tá p... comigo! hehehe Jà vou descobrir quem ganhou pra falar com ele... ; )
Bj!
Letícia.
http://babelpontocom.blogspot.com

Jorjão disse...

A turquia já caiu fora!!
Alemanha será campeã novamente!!

Melhor visualização com o navegador Mozilla Firefox