sábado, 14 de junho de 2008

Aécio Pimentel e Fernando Neves

Para aqueles que gostam de política, Belo Horizonte que já é vista como uma cidade diplomática e que "respira política", torna-se nesse ano um lugar ainda mais interessante para os admiradores dessa nobre arte.

A sucessão para a capital mineira, ganha novos capítulos a cada semana e como protagonistas, dois dos nomes mais fortes na política, porque não nacional: Aécio Pimentel e Fernando Neves. Ou seria o contrário? Perdão, perdão - Aécio Neves e Fernando Pimentel. A imensa afinidade entre ambos, que são de partidos antagônicos (em teoria) impressiona e me permite o leve trocadilho.

Fernando Pimentel, forte nome dentro do PT, costurou uma aliança para sua sucessão com ninguém menos que Aécio Neves, do grão-triunvirato tucano. Na teoria, algo descabido e inimaginável. Não para os dois. Prefeito e governador fecharam um acordo que encabeça o ex-secretário do estado, Márcio Lacerda (PSB) e o deputado Roberto Carvalho (PT), contrariando o veto da Executiva Nacional do PT alegando que a aliança prejudicaria as eleições de 2010 que tem Aécio como forte presidenciável.

Mentira, claro. O que o PT realmente quer, é desestabilizar a forte aliança que foi construída, com louvor, por Fernando Pimentel que a cada dia que passa, ganha mais força e importância no partido. O PT, que por tradição já não gosta de dividir poderes, gosta ainda menos de fazer isso com alguém que não seja da paulistéia do partido. E reconhecer os méritos do prefeito ao construir tal aliança é algo difícil para os caciques do partido. Ainda mais que com essa aliança, que concretizada, dará ainda mais projeção à Pimentel, forte candidato ao Palácio da Liberdade em 2010, e porque não, ao Palácio da Alvorada quatro anos depois.

A parceria PT-PSBD, segundo seus respectivos protagonistas será levada a cabo, com ou sem a autorização do PT. Nos bastidores, Pimentel recorreu até ao presidente Lula, para que ele intervenha pessoalmente, algo que já foi feito. Lula conversou com o presidente do PT, Ricardo Berzoini dizendo que "o que estão fazendo em Belo Horizonte é uma sacanagem". O partido então, autorizou uma aliança informal com os tucanos, algo que foi mal aceito pelos tucanos e pelo PSB, partido que faz parte da base aliada do presidente Lula. Esse semi-veto do PT, pode estremecer a aliança com o PSB, que faz parte da base governista do presidente Lula e vê como afronta a quase proibição. O presidente do partido, o governador de Pernambuco Eduardo Campos, veio à Belo Horizonte discutir com o prefeito Pimentel os próximos passos dessa ciranda.

Claro que ainda teremos alguns interessantes desdobramentos (que acompanharemos de perto, logicamente) desse caso, mas alguém aí dúvida que no final, tudo dará certo para a dobradinha Pimentel-Aécio? Primeiro, porque Pimentel é aprovado pela maioria da população e ele está fazendo o que todo político sempre almeja, mas não consegue - escolher seu sucessor político e dizer para o eleitorado: "É ele". E segundo porque todos nós sabemos que em Minas Gerais, nem síndico de prédio é eleito sem as bênçãos de Aécio Neves. E não vai ser na prefeitura de Belo Horizonte que isso será diferente.

2 comentários:

Bernarctica disse...

Não acho errado um partido webberiano fazer aliança com um partido social-democrata. webberiano sim, pois como nos mostra a história, só o partido cubano não virou webberiano.

O Menino do Rio, quero dizer, o prezado sr. Aécio Neves (segundo meu contrato eu tenho que tratar meus superiores com formalidade, nada de apelidos ou tratamentos carinhosos, tenho que obedecer meu patrão né?)

Pimentel tem feito política como um líder nato, as obras de BH, mesmo que com 20 anos de atraso estão sendo feitas e mesmo Aécio e Lula dando pitaco não devemos tirar seu mérito. Acredito que Pimentel seja uma alternativa muito melhor do que a Dilma pra presidência, porque além de não ter nenhum escândalo nas costas (tirando essa aliança com o PSDB), acredito que ele seja melhor político.

O PSDB vai ser suicida se indicar o Serra pra presidência no lugar do Aécio, porque convenhamos, o Serra nunca fez porra nenhuma, nem nunca significou muita coisa pra política, só governou São Paulo.

A única alternativa plausível pra presidência no atual momento é o Pimentel, mas a gente ainda vai ter que esperar mais uns 4 anos, porque ele ainda tem que ser governador de Minas pra se estabelecer.

É isto ou esperar pelo Lordi ou pelo Mangabeira Unger pra nos salvar!!!!

Lucas Catta Prêta disse...

Olá Bernarctica!
Obrigado pelo comentário!
Também sou da opinião de que, técnicamente, Pimentel é um baita nome para 2010. Mas também sei que cautela nunca é demais, por isso um período como governador, para ganhar experiência e principalmente nome, será válido.
O problema meu caro, é que como disse, a paulistéia petista não vai gostar de um mineiro com tanta visibilidade em 2014. É esperar para ver!
Espero vê-lo aqui de novo!

Melhor visualização com o navegador Mozilla Firefox