quinta-feira, 31 de julho de 2008

Destino: Pequim - Parte 2

A busca pelo ouro e, principalmente, pelo reconhecimento

Quem as vê jogar, encantar o mundo e convencê-lo de que podem ir muito além do que um bando de marmanjos cogita, não imagina que a sintonia da seleção feminina apresentada dentro de campo é algo praticamente “acidental”. A palavra “acidental” não foi para por aqui de maneira acidental. Não mesmo. O grupo é formado por meninas e mulheres que, esporadicamente, se encontram para jogarem suas partidas oficiais.

Num país não tão machista, mas que guarda resquícios desse mal nas pequenas coisas, as jogadoras brasileiras sofreram com a discriminação e com a falta de patrocínio. Venceram? Não. Têm vencido com fé, resignação e demonstração de seus potenciais.

Apesar das significantes conquistas da nossa seleção feminina de futebol, nossas guerreiras ainda sonham com o dia em que serão reconhecidas e, quem sabe, poderão jogar nos gramados de seu país em condições melhores ou - elas só pedem - iguais às dos homens.

Um campeonato brasileiro de futebol feminino impulsionaria a modalidade e aí tudo ficaria mais fácil: seja descobrir jovens e promissores talentos ou dar maior unidade à seleção.

Só para constar: no último domingo, há menos de duas semanas da estréia nas Olimpíadas de Pequim, as atuais campeãs pan-americanas e vice-campeãs olímpicas e mundiais golearam por 4 a 0 o time da nossa meia-atacante e estrela, Marta, em jogo amistoso de preparação para os Jogos Olímpicos.

Até hoje, elas não conseguiram nada fácil. E é isso que dá a elas a certeza de que é plenamente possível ostentar a medalha dourada no peito no dia 21 de agosto, dia da final. Por falar em final, assista a estréia da nossa seleção que acontecerá na próxima quarta-feira às 6h. Motivo?!? O Brasil encarará as atuais campeãs mundiais, as alemãs. Pode ser um aperitivo do que iremos assistir no dia da decisão.

Esqueça as últimas, vexatórias, apresentações da nossa seleção masculina de futebol. Agora é a vez dos meninos.

A boa apresentação diante da fraca seleção de Cingapura serviu, talvez, para reanimar nosso coração verde-amarelo acostumado a pulsar forte nas decisões.

Os jogadores brasileiros vão a Pequim com uma de suas maiores responsabilidades: trazer o único título que nos falta, o de campeões olímpicos.

O alvoroço e estardalhaço na recepção da seleção brasileira no aeroporto de Hanón, para o jogo amistoso contra a seleção daquele país amanhã (01), não diz muita coisa.

O desempenho da seleção brasileira ainda é uma incógnita. Temos jovens talentosos, Ronaldinho Gaúcho, a camisa - que, dizem pesar - e o respeito dos adversários. Mas, isso é o suficiente? Lembre-se de que a seleção pode não ser a mesma, mas o técnico é e é ele quem manda.

A seleção faz sua estréia em Pequim na próxima quinta-feira (07) contra os belgas. O grupo C, do qual faz parte o Brasil, é completado por China e Nova Zelândia. Uma chave que, teoricamente, não oferece grandes perigos.

Se faturar a medalha de ouro, Dunga conquistará mais que uma valiosa medalha e boas recomendações em seu currículo. Ele conseguirá se safar da possível demissão rogada à audível coro popular.

8 comentários:

Edu França disse...

Francamente, acredito muito pouco na seleção, mas vamos pagar pra ver

mano maya kosha disse...

o esporte de fato sempre representou algo transcendentalmente humano, ainda mais a figura do futebol para o nosso país, mais do que um grupo, são mulheres com seus sonhos e vitórias, rumo pra mais uma concretização que se faz digno de nossas melhores vibrações ...

Bertonie JVinee disse...

tbm acredito pouco na seleção

⋆     T h aa disse...

Na seleção feminina confesso que acredito e muuuito.
Já na masculina nem um pouco, ninguém quer nem ser convocado pra jogar. Realmente uma vergonha --'

Tayná Guedes disse...

torço por ela stambem,mesmo não sendo muito fã de futebol.
Espero que elas chegem a final XD e ganhem tambem..claro!
quando a seleção masculina,não sei não...
sinceramente axei sempre q a seleção brasileira se achava demais..agora vão ter q provar q são os melhores do mundo.

ve aí:http://taynalu.blogspot.com/

;*

Wander Veroni disse...

Estou torcendo para a selação feminina de futebol fazer bonito nessas olimpíadas, assim como o pessoal da ginástica e da natação. Aliás, estas são uma das competições que mais curto assitir. Vamos só ver a seleção masculina de futebol...tomara q não dê um vexame pior do que o Galo nessa última semana...heheheh

Abcs,

=]
___________________________________
http://cafecomnoticias.blogspot.com

Daniel Leite disse...

É paradoxal essa história de o futebol brasileiro jamais ter obtido uma medalha de ouro em Jogos Olímpicos. Sinceramente, está na hora. Talvez até de duas medalhas douradas. Marta pode decidir no feminino. No masculino, somente a Argentina está no mesmo patamar do Brasil. Holanda, Itália e países africanos vêm a seguir. E, mais uma vez, como bem disse, o sucesso nas Olimpíadas está diretamente relacionado com o emprego do treinador. Em 2000, Luxemburgo caiu. Vejamos agora.

Até mais!

DuDu Magalhães disse...

Não sou fã de futebol, mas espero que eles ganhem!

Melhor visualização com o navegador Mozilla Firefox