quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

O futebol também é fraternal

QUADRO PAINEL DO INTERNAUTA - A VOZ E A VEZ DO LEITOR SEM FRONTEIRAS

Rafael e Fábio são exemplos mais recentes que o futebol em família pode dar certo

Envolta em todo o misticismo que envolve o futebol está a combinação entre o genótipo (constituição hereditária) e o fenótipo (aspecto externo) dos potenciais jogadores. O debate é válido a partir do momento em que pensamos a respeito de potências da bola. Por exemplo, por mais que a modalidade seja popularizada no meio da imensidão demográfica da China, não dá para imaginar que os troféus galguem rumo ao continente asiático. Até hoje, quem marcou mais gols pela seleção chinesa foi o desconhecido Hao Haidong (41, no total), que se aposentou em 2007, quando atuava pelo tradicional, porém decadente Sheffield United, da Inglaterra. No comando técnico, o maior nome do expresso oriental não fala mandarim. Trata-se do agora inativo Bora Milutinovic, treinador sérvio que levou o mais populoso dos países à sua primeira Copa do Mundo em 2002.

Toda essa conversa, porém, foi apenas um instrumento para mostrar que, no futebol, não necessariamente a qualidade é obtida por meio da quantidade. Portanto, ganha importância na discussão o fator genético como produtor de grandes craques. Não é uma referência à formação de clones do Pelé em laboratórios, mas aos irmãos que enchem a mãe e o pai de orgulho jogando bola. Daí, conclui-se que, em uma mesma casa, pode haver mais propensão ao futebol do que num país inteiro. Nesse sentido, preparamos uma lista envolvendo os futebolistas que alcançaram o sucesso em família. Alguns deles, na carona do irmão mais habilidoso. Outros, ao contrário, formadores de um par de competência homogênea. Quanto “melhor” a dupla, mais abaixo ela estará no artigo. Não valem os aposentados, como Raí e Sócrates, sendo que os dois precisam estar em atividade. Caso acredite que estejam faltando alguns nomes, faça o alerta no espaço para comentários.

10) Os irmãos Izecson, brasileiros. Um deles, fabricante de gols, viveu momentos mágicos em 2007. O outro, defensor, ainda busca a afirmação no futebol europeu. Kaká e Digão iniciaram suas carreiras no São Paulo e, no espaço de um ano, foram contratados pelo Milan. Ricardo Izecson dos Santos Leite tornou-se o principal jogador rossonero em 2006, quando Andriy Shevchenko partiu para Londres. Rodrigo Izecson dos Santos Leite vive mais um instante para experiências, tendo sido emprestado pelo Milan ao Standard Liège, da Bélgica.

9) Os irmãos Inzaghi, italianos. Claramente, a presença destes é um tributo a Filippo, que conseguiu ser ídolo pela Juventus e pelo seu clube atual, o Milan. Ele nunca foi tecnicamente fantástico, mas ganhou a irreversível fama de goleador afortunado. Portanto, se o Milan estiver perdendo, basta “jogar a bola na área para ela bater na canela do Pippo Inzaghi e entrar”, e estará tudo resolvido. Seu irmão mais novo, o também atacante Simone, é menos jogador, mas já chegou a defender a seleção italiana. Atualmente, joga na Lazio.

8) Os irmãos da Silva, brasileiros. Os gêmeos Rafael e Fábio são simétricos até na disposição tática. O primeiro, lateral-direito, já consegue ser titular do Manchester United em jogos importantes. Pela esquerda e também no United, Fábio ainda se dedica à obtenção de mais experiência, embora já tenha sido capitão da seleção brasileira sub-17. Com apenas 18 anos, os ex-laterais da base do Fluminense integram a lista por conta do futuro extremamente promissor.

7) Os irmãos Altintop, turcos. Hamit é 10 minutos mais velho em relação a Halil. Ambos fizeram sucesso no Schalke 04, da Alemanha. O “mais novo”, atacante, permanece no clube de Gelsenkirchen até hoje. O “primogênito”, por sua vez, foi compor o lado direito do gigante Bayern de Munique. Ambos servem a seleção da Turquia.

6) Os irmãos Cannavaro, italianos. Fabio é um monstro. Com apenas 1.76m, foi o principal nome do tetracampeonato mundial conquistado pela Itália. Em 2006, tornou-se o primeiro defensor de fato a receber da FIFA o prêmio de melhor jogador do mundo (o alemão Lothar Mathäus, originalmente meia, também já conquistou a láurea). Aos 35 anos, é o pilar defensivo do Real Madrid, 16 temporadas após o começo no Napoli. No mesmo lugar, o também zagueiro Paolo, de 27 anos, construiu boa parte de sua carreira. Apesar de não ter os mesmos predicados de Fabio, ele já foi convocado para a seleção italiana principal em 2007.

5) Os irmãos Kovac, teuto-croatas. Apesar de serem nascidos na Alemanha, Niko e Robert fizeram história defendendo as cores da Croácia. O primeiro é o mais experiente, sendo um senhor volante com 37 primaveras. Apesar da idade, o jogador do Red Bull Salzburg, da Áustria, decidiu prosseguir como capitão da seleção croata após uma conversa particular com o treinador Slaven Bilic. O irmão Robert também é ótimo jogador. Três anos mais jovem, ele já foi zagueiro do Bayern de Munique e da Juventus. Atualmente, está no Borussia Dortmund.

4) Os irmãos Ferdinand, ingleses. Rio segue seu curso como um dos melhores zagueiros do mundo há pelo menos oito anos, desde que acertou com o hoje falido Leeds United. A maior mancha em sua carreira ocorreu em 2003, quando se recusou a fazer um exame anti-doping e, por conseguinte, foi suspenso por um ano pelo comitê disciplinar da Associação de Futebol da Inglaterra. Mesmo assim, aos 30 anos, é a rocha defensiva do Manchester United. Anton, seu irmão sete anos mais novo, é também um excelente defensor, apesar de viver tempos obscuros no Sunderland. Eles são produtos da excelente academia de base do West Ham, de Londres.

3) Os irmãos Neville, ingleses. Nenhum dos dois é tecnicamente um primor. Gary, mais velho, embora sempre tenha sido criticado pelos comentaristas brasileiros, construiu seu nome como um sólido lateral-direito. Prova disso é que, quando não está lesionado (isso tem sido raro ultimamente), é o capitão do Manchester United. Quem também ocupa o cargo de liderança de um grande clube inglês é o irmão menos velho, Phil. Versátil, ele pode jogar em qualquer posição da retaguarda do Everton. Juntos, eles totalizam 144 partidas pela seleção principal da Inglaterra.

2) Os irmãos Milito, argentinos. Os dois já vestiram a camisa albiceleste da seleção. Zagueiro, Gabriel foi pretendido pelo Real Madrid quando atuava pelo Independiente, de Avellaneda. No entanto, ele foi para o Zaragoza. Há um ano e meio, foi parar justamente no maior rival do clube da capital espanhola, o Barcelona. Diego Milito, mais velho, é um atacante de pé cheio. Apesar de nunca ter atuado em um gigante da Europa, o jogador de 29 anos tem ótima reputação por lá. Atualmente no Genoa, é co-artilheiro do Campeonato Italiano, com 12 gols.

1) Os irmãos Touré, marfinenses. A sensacional dupla vive momento mágico. Kolo, hoje com 27 anos, foi contratado pelo Arsenal em 2002 por uma quantia irrisória, recebida pelo ASEC Mimosas, seu time na Costa do Marfim. Este excelente e rápido zagueiro é reconhecido como um dos mais competentes do mundo. Yaya Touré, nascido dois anos depois, é o titular da cabeça-de-área blaugrana. A estrela do Barcelona pode provocar um rombo nos cofres do Manchester City, desesperado para reforçar-se com qualidade. Ainda há um terceiro irmão, Ibrahim Touré, que atua pelo ASEC Abidjan, da primeira divisão marfinense. Este, porém, é dono de um talento mais humilde.

Natural de Santos e radicado em Minas, Daniel Leite é estudante de Jornalismo pela Universidade Federal de Viçosa e editor dos blogs “Repercutiu" e do "Por Dentro do Mundo da Bola". Entusiasta e "louco" pelo futebol, ele gosta também de tênis, NBA, Fórmula 1, de política (nacional e internacional) e fatos históricos, além de ser avesso aos clichês e comodismo da imprensa.

11 comentários:

Guilherme Freitas disse...

Muito legal essa matéria sobre os irmãos da bola. O Manchester United é soberano nesse assunto. Tem os irmãos Fábio e Rafael e um dos Neville, que jogaram muito tempo juntos em Old Trafford.

Sem dúvida nenhuma os irmãos gêmeos brazucas do Manchester vão evoluir muito. Rafael é um bom jogador e creio que é questão de tempo para ser titular absoluto dos Red Devils (só precisa que Gary Neville deixe os gramados).

Outra dupla de irmãos fantástica foi a dos irmãos Laudrup, na Dinamarca.

Jader Araújo dos Santos disse...

Eu vi uma reportagem sobre eles no domingo, na globo !

Pelo que eu vi, os caras, jogam muito mesmo ...

Blog legal ...

Abraços
Jader '
http://pontocriticocultural.blogspot.com/

Carol°°°Paula disse...

legal... irmão...
acho q vo jogar fut com meu irmão ve c ganha uma graninha, pq hj em dia tá dificil
eles são bons jogadores e tem futuro...
eu acho :P

Guilherme disse...

Daniel,

Colaborador ou internauta-leitor, és um primor! Trocadilhos de lado, que excelente reportagem.

Dez casos de irmãos que vingaram no futebol europeu, como direito ao perfil de cada.

Confesso que sou fã dos Touré, Inzaghi, da Silva e Milito (quatro duplas em que os irmãos tiveram sucesso quase que na mesma proporção).

Engraçada essa história de futebol e genética. Pelé e seu filho, Leivinha e o sobrinho Lucas, Raí e Sócrates (irmãos). É no esporte, assim como na política, a ciência fica sem muitas explicações.

Parabéns e abraço.

Wander Veroni disse...

Opa! Que bacana o Daniel escrever um guest post para o SFW, adorei! Ainda mais com tanta curiosidade envolvendo laços de família no esporte. Abraço

Equipe Conquistadores disse...

Muito legal o post mesmo. Eu vi uma reportagem desses dois meninos no Globo Esporte. Muito bom o jeito deles assim e eles jogam muito. Sucesso para eles.

Daniel Leite disse...

Adotando conduta semelhante à do Lucas no "Repercutiu", quero agradecer a vocês pelos comentários positivos em torno desta matéria. Também digo que fiquei muito satisfeito por poder colaborar, de alguma forma, com a produção do Sem Fronteiras. Que este espaço siga trilhando seu rumo de modo vitorioso!

Abraços a todos!

Edu disse...

e se procurar ainda acha mais um monte... x)Mas geralmente só um dos irmãos que joga bem hehe

informadorpessoal disse...

Pois, existem historias familiares muito coruiosas no futebol! lembor-me de uma vez aparecer na televisao, um filho qe jogou contra a equipa do pai ;P axo que o pai era treinador... deve ser uma situação muito especial... O mister devia diser: Vamos lhes partir as pernas menos as do meu filhinhozinho ;P

Mais irmaos: Jorge Ribeiro e Maniche ! xD

Abraço

Fábio Flora disse...

Superbacana essa matéria sobre irmãos no futebol. Temos outros, como Assis (aposentado) e Ronaldinho Gaúcho (na ativa), Nélio (aposentado) e Gilberto (na ativa), Kaká e Digão (ambos em atividade), Diogo e Diego (que surgiram no Internacional-RS), Igor e Tiago Maciel (que jogaram no Vasco).
Abraços e sucesso com o blog!

Anônimo disse...

Muito bom,mas além dos irmãos Touré,na Costa do Marfim ainda tem or irmãos kalou.Saloman kalou e Bonaventure Kalou.

Abraço

Melhor visualização com o navegador Mozilla Firefox