quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

De reajustes a gastos

Novidades à vista no BC e a velha rotina do Planalto Central

Da terra dos candangos, a capital federal e dos homens de paletó que freqüentemente adotam a prática doméstica de lavagem (de exorbitantes quantias de dinheiro público), emergem grandes expectativas e decisões corriqueiras, que tanto calejam nossas retinas, tão fatigadas, como diria o poeta Drummond.

O último relatório Focus, divulgado pelo Banco Central em 29 de dezembro de 2008, e que prevê o futuro das 100 maiores instituições financeiras do país, trouxe uma panorama animador para a economia brasileira, no que tange o ano de 2009: uma queda na ordem de 1,75% na taxa de juros, que hoje é de 13,75%.

A expectativa é que o índice Selic (taxa básica de juros brasileira) termine o ano que se inicia em 12%. Um reflexo da melhora do quadro nacional, que parece ter reagido bem às turbulências externas (algo que apontávamos desde o ápice da crise neste blog), elevando a previsão de crescimento do PIB de 2,4% para 2,44% e indicando para uma suave desvalorização do dólar, na ordem de R$ 0,10 em relação a US$ 1.

Assim como o saldo da balança comercial reagiu, frente ao relatório, a inflação, que no Brasil, é medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) da Fundação Getúlio Vargas, teve sua expectativa reduzida de 5,04% para 5,01%, pouco acima da expectativa traçada para 2008, em 4,5%, que ficou abaixo do teto da meta (intervalo de tolerância), dois pontos acima, que valem também para 2009.

Os números parecem pouco significativos? Então mudemos para o outro lado do Planalto Central, onde “mensalões” e “mensalinhos” começam em reboliço e terminam em pizza.

Ano novo, velhas rotinas

Insatisfeitos com suas residências em Brasília, os deputados federais, que recebem atualmente R$ 3 mil de “Auxílio Moradia” por mês, resolveram reformar 120 dos 432 apartamentos funcionais reservados ao uso dos parlamentares, inclusive os eleitos no Distrito Federal. A obra, orçada em APENAS R$ 44,4 milhões (em plena crise econômica mundial), prevê alguns mimos como banheiras de hidromassagem, porcelanato e indispensáveis triturados de alimentos. Aposto que o leitor tem um desses em sua residência, não? (veja o estado dos apartamentos na foto ao lado - G1)

Já pelos lados do Judiciário, o STF adquiriu 55 telefones criptografados, protegidos contra grampos, através da codificação de diálogos e mensagens. A ONG Contas Abertas informou que R$ 380 mil foram gastos na compra de 20 celulares e 35 telefones fixos. Cada unidade custou aos cofres públicos R$ 5 mil e R$ 8 mil, respectivamente.

A assessoria de imprensa do Supremo alega que o departamento de informática da instituição estudava o acesso de ministros e secretários a serviços on-line. Contudo, somente os celulares criptografados realizam operações pela página na web do STF e rede Intranet (interna).

Os aparelhos funcionam somente entre àqueles de mesmo sistema, o que não garante a segurança dos ministros. Gilmar Mendes, presidente do Supremo, e o senador Demóstenes, tiveram uma ligação interceptada ano passado, quando Mendes correu risco de impeachment após dois habeas corpus cedidos ao banqueiro Daniel Dantas, durante a Operação Satiagraha.



- Este artigo foi útil, tem qualidade ou merece algum acréscimo. Deixe seu comentário abaixo ou assine nosso feed.

7 comentários:

Rodrigo Piva disse...

Para complementar seu excelente artigo, cito uma notícia que acabo de ver no Jornal da Band. Nossos queridos deputados bateram o recorde de faltas. Gastam mais (com eles próprios) e trabalham cada vez menos (para nós). E o Brasil continua de vento em polpa.

Abração

Guilherme disse...

Lucas, meu amigo,

Aqui vai um comentário seco e curto: onde assino para confirmar os elogios a você, feitos pelo Rodrigo?

Artigo esplêndido!

Grande abraço.

Wander Veroni disse...

Oi, Lucas!

Excelente artigo que mescla opinião e informação com dois assuntos um tanto complicados que você conseguiu relatá-los com muita desenvoltura, parabéns! Ah, tenho certeza que você vai se dar bem nas aulas de Fundamentos de Economia, com a Silvânia, lá na graduação de jornalismo. Vai ser um grande repórter de economia e política, pode apostar!

Abraço,

=]

-------------------
http://cafecomnoticias.blogspot.com

Guilherme disse...

Lucas,

Gostaria de acrescentar um fato importante, que li ontem e não sei se vocês já estão a par da situação.

Os apartamentos funcionais podem ser vendidos após a reforma - para minha indignação e creio que, da grande maioria das pessoas.

Eles gastarão 44,4 milhões de reais e ainda por cima, podem vender os flats? É inacreditável. Só no Brasil mesmo!

Abraços.

Guilherme Santos disse...

legal seu blog
parabens
bem escrito e layout bonito

xisde-xd.com disse...

Seu blog ta show .. continue assim

XD

Michell Niero disse...

A autonomia demasiada que Lula vem dando ao Banco Central até certo ponto me assunta. Henrique Meirelles, notadamente um tucano, freia bruscamente a economia com essa política de contenção de uma taxa de juros irreal. Lula acha que a taxa deve cair mas fica por isso mesmo, como se ele fosse mais dentre nós a dar pitaco.

Se a chave para o nosso crescimento em 2009 é o consumo, que deixe a taxa de juros num patamar que me permita consumir. Desse jeito, quem ganha são apenas aqueles que "vivem de juros".

Melhor visualização com o navegador Mozilla Firefox