quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

A rivalidade pode ser saudável

18 de setembro de 1967. O Esporte Clube Santo André é fundado. O objetivo do novo clube era rivalizar com as equipes da região, como Campinas, Ribeirão Preto e São José do Rio Preto, já que no ABC paulita, sua região, não haviam outras equipes. O clube ficou conhecido no cenário nacional em 1984, quando terminou o Campeonato Brasileiro da 1ª Divisão em 10º colocado. Um grande feito para o clube.

Cinco anos mais tarde, em 1989, nascia o primeiro rival do Ramalhão: A Associação Desportiva São Caetano, mais precisamente, em 4 de dezembro de 1989. O Azulão, creio, nasceu por influência do bom momento do rival em âmbito nacional. Mas o mais novo time do ABC paulista fez mais do que rivalizar com o Santo André. Ele conquistou o Brasil, encantou os sul-americanos. Os vice-campeonatos brasileiro em 2000 e 2001, além da segunda colocação na Copa Libertadores da América, em 2002, inflamaram de vez o ABC e região. O outrora grande do ABC, o Santo André, voltou a investir pesado no futebol para acompanhar o rival Azulão. Venceu a Série C do Campeonato Brasileiro de 2003 e a Copa do Brasil de 2004, sendo o segundo da região a disputar a competição sul-americana.

Um terceiro clube entrou para o profissionalismo. O Grêmio Barueri chegou para conquistar também seu espaço. E não é que o clube fez história? Ele é conhecido pelos seis acessos consecutivos no futebol paulista e brasileiro, indo da Série B-3 (Sexta Divisão do estado) até a Série B do Brasileirão. O Barueri é mais um que fora influenciado pelos crescimentos de São Caetano e Santo André.

E o futebol do ABC e região não parou por aí. Mais um clube almeja alcançar o sucesso dos rivais: O São Bernardo Futebol Clube. Fundado em 2004, o clube já conseguiu aparecer. Foi na Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2005, quando chegou ao mata-mata da competição e revelou Rafinha, que depois foi contratado pelo Cruzeiro-MG. O time também conquistou, como o Barueri, acessos consecutivos nas divisões inferiores paulistas, chegando em 2009 na Série A2. Vai brigar pelo ineditismo de disputar a Série A1 em 2010.

A rivalidade, pois, pode trazer vários benefícios para o futebol daquela região ou município. Gerar renda, movimentar as ruas, proporcionar tristezas e alegrias, além de acessos de raiva. Isto é futebol, este esporte que, com certeza, torna as vidas dos torcedores de Santo André, agora na 1ª Divisão do Campeonato Brasileiro, São Caetano, atualmente na Série B, Grêmio Barueri, estreante na Série A em 2009, e o caçula, São Bernardo, em busca da elite paulista, bem movimentada.

Matheus Laboissière, 21 anos, natural de Belo Horizonte, estudante de jornalismo do Uni-BH, diagramador e assessor da EPAMIG, colunista do site FutNet, idealizador do Espelho Digital e futuro colaborador do Sem Fronteiras.


1 comentários:

Wander Veroni disse...

Oi, Matheus! Os seus artigos são aula de história esportiva, além de mostrar que o jornalismo pode e deve abusar de outras pautas.

Abraço

Melhor visualização com o navegador Mozilla Firefox